Trilha da Pedra da Gávea

A Pedra da Gávea é um dos lugares mais bonitos do Rio de Janeiro. Muitas pessoas fazem esportes radicais como descer de parapente ou realizar trilhas para chegar ao cume. Meu intuito é compartilhar com vocês a minha experiência para chegar ao cume desse lugar fantástico. Essa trilha é considerada a mais difícil do Rio de Janeiro e é classificada como Pesada Superior. Geralmente pessoas com bom preparo físico costumam terminar entre 6 horas e meia a 7 horas, mas como ficamos desidratados e faltou preparo, terminamos em 9 horas.

Começamos por volta de 8 horas da manhã e o guia muito atencioso passou algumas instruções de como seria o dia e o que enfrentaríamos pela frente.

Existem três caminhos para chegar ao cume:
1.Trilha tradicional (carrasqueira);
2.Pico dos 4 (garganta do céu);
3.Chaminé Ely (pela Pedra Bonita).

Fizemos o Pico dos 4 que se inicia na Barrinha, passando pela Garganta do Céu (tão linda quanto o pico) e chegando finalmente ao cume (844 metros de altitude).

Garganta do Céu
Garganta do Céu

O total da subida foi de aproximadamente 4 horas. Senti bastante dificuldade nesse pedaço da trilha porque não estava tão bem preparada fisicamente. Na subida, passamos por trechos bem complicados que nos exigiram o uso de cabos de aço, escalada e a superação de uma inclinação bem íngreme. A maior parte da trilha é caminhando, porém é uma subida bem cansativa. Fizemos tudo com bastante segurança, por isso é tão importante contratar uma empresa para fazer esse tipo de passeio. Quando chegamos ao cume, vimos que valeu todo o esforço! É simplesmente lindo e conseguimos ver o Corcovado, Barra, Morro Dois Irmãos, entre outras maravilhas. Ficamos lá apreciando aquela visão linda durante meia hora e começamos a descida.

Pedra da Gávea
Pedra da Gávea
Pedra da Gávea
Pedra da Gávea

Depois de uma hora descendo, chegamos à famosa Carrasqueira. Essa é a parte mais tensa da trilha, pois muitas pessoas fazem esse trecho sem guia e sem equipamento, descendo na raça. É nessa hora que o guia vira pra gente e fala: “Vocês precisam ficar calmos porque muita gente vai estar gritando e chorando, pois não conseguem descer. Vocês precisam estar concentrados no que irão fazer.” No início, achei que ele estava exagerando, mas ao chegar lá percebi como era tenso para as pessoas que estavam sem equipamentos.

Carrasqueira
Carrasqueira

Existem vários vídeos na internet da descida da Carrasqueira e como as pessoas se desesperam (vou confessar que passei alguns dias vendo esses vídeos e me perguntando como as pessoas tem coragem de fazer isso sem nenhuma segurança). Vale também comentar que muitas pessoas tentaram subornar o nosso guia para descer de baldinho, mas ele foi muito profissional e não topou. Já que estávamos de guia e com os equipamentos apropriados, começamos a descida de baldinho. Foi a primeira vez que desci de baldinho na vida e fiquei com bastante medo, mas deu tudo certo 🙂 . A diferença do baldinho para o rapel é que no baldinho o guia controla a corda e no rapel é você.

Depois de terminar a Carrasqueira, continuamos nosso trajeto de descida e em seguida aconteceu um pequeno probleminha. Acabou a água !!!! Tínhamos calculado 2 litros de água por pessoa, mas não foi suficiente porque o dia estava extremamente quente ( 37 graus). Dali em diante ficou bem complicado porque a gente começou a desidratar e a ficar muito cansado. Existe uma bica na descida, mas ela estava seca. A força de vontade para terminar a trilha faz com que a gente supere todos os limites e continue seguindo (ficamos em torno de 3 horas sem água nessas condições de alta temperatura).

Depois de 4 horas de descida, chegamos finalmente ao final da trilha. Estávamos todos muito cansados e morrendo de sede, porém sentíamos uma sensação de superação absurda. Conseguimos terminar e apesar de cansados estávamos felizes e realizados. A parte final da trilha foi a mais engraçada porque o desespero de beber água era tanto que compramos cada um 1.5L de água e bebemos como se fosse literalmente a última coca cola do deserto kkkkkkkkkkkkk.

Bom, queria compartilhar com vocês um pouco dessa experiência que, para mim, foi inesquecível. Vale a pena? Sim, porque a trilha é muito bonita, porém é necessário ter um bom preparo físico (É bem puxada mesmo) !!!! Como aprendizado, planejaria melhor a ida (quantidade de água, comida, lanterna, remédio, etc) e com certeza me prepararia melhor fisicamente para fazer novamente.

Fizemos essa aventura com a Kmon adventure ( http://www.kmonadventure.com.br/). Fiquei muito satisfeita com o guia que passava uma tranquilidade enorme pra gente. Recomendo essa empresa pra quem vá fazer a trilha da Pedra da Gávea.

O valor por pessoa para um grupo de 4 foi de R$ 110,00. Esse valor varia de acordo com o número de pessoas que fazem a trilha.

Só uma curiosidade boba: Lembram do filme Trapalhões na terra dos monstros? Quando eles caem em um buraco em um morro ? Então é na pedra da gávea rsrsrs.

“It is not the mountain we conquer, but ourselves” by Edmund Hillary